fbpx

Primeiro apartamento: 6 passos práticos para você não errar na hora de comprar o seu

primeiro apartamento
7 minutos para ler

O sonho da casa própria é comum entre os brasileiros. Mas ninguém consegue comprar um imóvel de uma hora para outra, certo? É preciso muito planejamento, economia e paciência até encontrar o primeiro apartamento ideal.

Neste post, mostraremos como deve ser feito esse planejamento financeiro, indicaremos como analisar o imóvel ideal para a compra e elucidaremos quais os tipos de financiamento mais vantajosos de hoje no mercado. Todos esses cuidados devem ser levados a sério para evitar problemas futuros.

Tem interesse pelo tema? Siga conosco e fique por dentro do assunto!

Planeje suas finanças

Comprar um apartamento envolve valores significativos e exige, na maioria dos casos, financiamento junto a instituições financeiras.

Antes de contratar esse crédito no mercado, porém, planeje sua vida financeira. Isso quer dizer que você deve reduzir gastos do dia a dia de forma a conseguir fazer uma poupança, por exemplo. Ter pelo menos uma parte do dinheiro em mãos permite financiar valores menores no mercado, sem que você precise comprometer sua renda mensal mais do que deveria.

Para se tornar um poupador, comece a economizar seu dinheiro todo mês. Saiba exatamente quanto você ganha e quanto você gasta e se proponha a cortar supérfluos. Coloque na ponta do lápis despesas essenciais com alimentação, moradia e contas como de água, luz e internet.

Separe o valor destinado a programas de final de semana, por exemplo, e veja quanto é possível economizar. Cortar compras no cartão de crédito e crediário pode fazer muita diferença ao final desse processo de economia. Estar com o CPF sem restrições é ponto chave para a compra.

Saiba que as parcelas de financiamento do primeiro apartamento junto ao banco não podem ultrapassar 30% da renda bruta mensal familiar. Esse percentual pode facilitar a você o conhecimento de quanto, de fato, você precisa ter em mãos para comprar o apartamento por você idealizado.

Busque o imóvel ideal

Planejadas todas as suas economias, é hora de ir em busca do apartamento que você almeja. Para isso, são muitos os fatores a serem estudados:

Pense no preço

Com base em seu planejamento financeiro, você deverá saber quanto pode investir na compra de um apartamento. É claro que de nada adianta ter uma renda mensal que esteja na média brasileira e decidir financiar um apartamento de alto padrão, nesse caso o financiamento será negado inviabilizando a compra. O financiamento só será obtido se seguir a lógica da sua renda mensal, como pontuamos anteriormente.

Defina a localização

Imóveis à disposição existem aos montes. Para restringir o campo de pesquisa, decida uma região onde gostaria de residir. Pode ser um bairro perto do trabalho, próximo aos familiares, ou uma região que está com potencial de crescimento e oferece imóveis melhores com valores mais em conta.

Lembre-se de que, neste momento, você já definiu o valor máximo do imóvel e a localização deve levar esse fator em consideração. Contar com a ajuda de uma empresa especializada no tema é fundamental. Faça uma simulação e descubra o que cabe no seu bolso.

Pense no tamanho

O tamanho do imóvel também deve ser considerado, uma vez que o financiamento é assumido por algumas décadas e não se deve comprar um primeiro apartamento já pensando em mudar em caso de necessidade. Se planeje para adquirir um imóvel que futuramente possa abrigar a sua família. Portanto, que tenha pelo menos dois quartos e uma estrutura que agrade a você e a quem está próximo. 

Espaços muito pequenos, menores que 35m², podem ser mais baratos, mas também podem não ser tão práticos para quando você tiver filhos, por exemplo. Por isso, faça um planejamento de vida e pensando no futuro.

Visite o lugar

Se você fez uma seleção dos imóveis ideais, não deixe de visitá-los. Pessoalmente você terá uma ideia muito melhor do como adaptá-lo às suas necessidades e decorá-lo, por exemplo. Ademais, as visitas são importantes para que você perceba se aquele apartamento é, realmente, como o mostrado em fotografias!

Ainda há quesitos como vizinhança, estrutura de garagem, comércio próximo, barulho e luz solar. Todos esses fatores pesam em uma decisão bem feita. Ter a opinião de terceiros também pode ser interessante.

Verifique os documentos e a estrutura

Estar informado sobre as estruturas elétrica e hidráulica do imóvel, além de garantir sua segurança, evitará dores de cabeça no futuro.

Ter os documentos em mãos para conseguir o financiamento junto à instituição financeira também deve ser prioridade. Por falar em documentação, lembre-se de conferir, na prefeitura de sua cidade, se o imóvel está todo dentro das normas vigentes e em dia com impostos e dívidas. Profissionais especialistas no mercado podem te ajudar com essa função.

Encontre o melhor financiamento

Depois de ter uma reserva financeira para a compra do primeiro apartamento e encontrar o imóvel ideal, atente-se para o financiamento. Encontrar a instituição financeira que conceda as melhores condições para a obtenção do crédito pode permitir um negócio de maior sucesso. Por isso, informe-se sobre taxas de juros, condições de pagamento e limites do crédito que será disponibilizado. 

Minha Casa Minha Vida

O programa foi criado em 2009 pelo governo federal e permite a aquisição da casa própria a partir de financiamento bancário a juros menores, uma vantagem se comparado a outros tipos de crédito imobiliário existentes.

O objetivo da iniciativa é permitir que a população, independentemente de sua faixa de renda, tenha acesso ao primeiro apartamento.

Famílias com menores rendas mensais pagam valores menores de taxas e juros. Geralmente, no Minha Casa Minha Vida, o maior percentual da taxa de juros nominal é de 7,6600% e efetivo de 7,9348%. Em outros financiamentos existentes no mercado, esse percentual ultrapassa os 10%!

O primeiro passo para ser beneficiado pelo Minha Casa Minha Vida é calcular a renda familiar, ou seja, somar o rendimento bruto de todas as pessoas que desejam comprar o imóvel. Assim, será definida a faixa de renda familiar que impacta diretamente na taxa de juros do financiamento.

O programa considera a renda bruta do interessado para definir a linha de financiamento que será disponibilizada. São quatro as faixas de renda previstas:

  • a Faixa 1 é destinada a famílias com renda de até R$1.800,00;
  • a Faixa 1,5 atende a quem detém renda entre R$1.800,00 e R$2.600,00;
  • a Faixa 2, por sua vez, compreende pessoas que, mensalmente, têm à disposição a partir de R$2.600,00, podendo chegar a R$4.000,00;
  • já a última é a faixa 3. Nela, a renda dos integrantes da família pode ir até os R$ 7.000,00, mas não pode ultrapassar esse valor.

Você viu que, para financiar o primeiro apartamento, é preciso planejamento financeiro e bastante pesquisa a fim de achar o imóvel ideal. Encontrar o melhor tipo de financiamento disponível no mercado também pode tornar essa compra mais rápida e simples. 

Esta com alguma dúvida sobre o mercado imobiliário? Entre em contato com a Meu Primeiro Apê e tire todas as suas dúvidas com um de nossos assessores.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-