fbpx

Pensar no seu futuro é indispensável, mesmo se você ainda for jovem!

7 minutos para ler

Se você está perto dos 30 anos ou completou essa idade há pouco tempo, provavelmente tem pensado tanto no seu futuro quanto no da sua família. Mesmo que essa família ainda seja apenas um sonho. Pode ser, inclusive, que já tenha perdido algumas noites de sono nesse exercício. Mas saiba: é preciso ir além.

Muito mais do que apenas pensar no futuro, você precisa se planejar. Você entende a diferença? Não estamos mais nos referindo apenas a sonhos e desejos, mas sim a metas e objetivos.

Se você faz parte do grupo de pessoas que consegue perceber essa diferença e estabelecer objetivos e metas, está no caminho certo! Além disso, tem grandes chances de concretizar seus anseios.

Por isso, confira este post e descubra porque é importante pensar no futuro desde cedo!

Planejamento pessoal

Para que você possa mergulhar no seu planejamento pessoal, é essencial responder a alguns questionamentos. Esse será um passo determinante para saber, antes de qualquer coisa, quais são seus objetivos e metas. Portanto é preciso refletir sobre os pontos que listamos a seguir.

Que tipo de pessoa você é?

Essa é a primeira pergunta. Em qual tipo você se encaixa? É disciplinado, econômico, prático e controlado ou é uma pessoa sonhadora, esbanjadora, desregrada e caprichosa? Consegue juntar dinheiro com facilidade? É organizado com as finanças?

Por fim, você é do tipo que paga as contas em dia? Porque se você costuma gastar mais do que ganha, se precisa esconder ou quebrar os cartões de crédito, se ainda vive em débito com membros da família, é hora de mudar!

Onde quer estar daqui a 5 anos?          

Para ajudar nesse processo, pense sobre onde você quer estar daqui a 5 anos. Faça esse exercício tendo em vista sua trajetória pessoal, profissional e financeira. Afinal, cada uma dessas partes da sua vida interfere diretamente nas outras.

Se você quer ter filhos e constituir uma família, por exemplo, será bem mais complicado alcançar sucesso nessa área se optar por ser um engenheiro civil de obras pesadas. Isto porque, muito possivelmente, você passará muito tempo de obra em obra por todo o país.

Assim como será um grande desafio ser bem remunerado em algumas profissões, por mais bonitas e nobres que possam ser, como é o caso da docência. Por outro lado, é bem mais fácil conseguir um emprego de meio horário, com férias duas vezes por ano e possibilidade de emendar os feriados.

Quais são as suas prioridades?

No final das contas, você precisa definir suas prioridades. É a partir delas que estabelecerá suas metas. Família, satisfação profissional ou retorno financeiro: o que vem em primeiro lugar para você?

O que precisa fazer para alcançar essa meta?

Você que você chegou até aqui já deve estar pensando nas suas metas, certo? Ótimo. Mas lembre-se que uma meta sem planejamento é apenas um desejo. Por isso, mãos à obra!

Trace seu caminho e siga firme no seu propósito. Reavalie seus passos e os resultados de tempos em tempos. Inclusive, o início do ano costuma ser uma ótima época para isso.

Não hesite em colocar os seus planos no papel. Esse é uma ótima maneira de dar forma aos seus sonhos. Pode ser uma planilha, um quadro na parede ou apenas um bloco de anotações. Estabeleça prazos e recursos disponíveis. Isso faz toda diferença, seja para a viabilização de uma viagem ou para a compra do primeiro imóvel.

Se você perceber que saiu um pouquinho do rumo, não desanime. Acerte a rota. Tome as rédeas da sua vida. Não seja atropelado por imprevistos e crises. Esteja preparado para eles e se antecipe. Tenha um porto seguro, uma reserva, uma economia que garanta as condições para retomar seus objetivos. Quer saber como? Continue a leitura!

Construção de um futuro consistente

Você sabe exatamente o que quer da vida. Aonde quer chegar e com quem quer estar ao atingir seus objetivos. Traçou suas metas e estabeleceu um planejamento. Mas aí, vem a vida e te dá uma rasteira.

Pode ser a perda de uma pessoa amada, um período fora do mercado de trabalho, o fim do seu primeiro negócio que não foi exatamente um sucesso ou o enfrentamento de uma enfermidade.

Nesses momentos, contar com um patrimônio que garanta a você a possibilidade de dedicar algum tempo e esforço na retomada dos seus planos é essencial. Mas como começar a construir um patrimônio?

Imóveis

Um dos investimentos mais tradicionais no Brasil, os bens imóveis são uma excelente opção para quem busca segurança, valorização, rentabilidade e facilidades de negociação.

Afinal, no Brasil são fartas as condições de financiamento com juros e prazos bastante atrativos. Em alguns casos, você pode contar com incentivos do governo, como o programa Minha Casa, Minha Vida.

Além disso, caso seja seu primeiro imóvel, é uma oportunidade de sair do aluguel e começar a formar seu patrimônio. Esse, com certeza, será um imenso diferencial em um momento de crise ou readequação de objetivos.

Como se não fosse o bastante, esse imóvel pode servir como entrada para a aquisição de um outro bem, mais adiante. Quando a família crescer, por exemplo.

Automóvel

No Brasil, como consequência do modelo de desenvolvimento adotado e da própria cultura nacional, a primeira coisa que um jovem pensa quando inicia sua trajetória profissional é: “Vou juntar dinheiro para comprar um carro.”

Alguns mais afoitos, acabam se comprometendo com financiamentos de 60 ou 72 meses com juros exorbitantes. É claro que um automóvel é um grande conforto, uma comodidade. Muitas vezes, ter um automóvel até ajuda na construção da carreira, se você for um vendedor autônomo ou um professor de idiomas que ofereça aulas em casa, por exemplo.

Mas não se esqueça de que um carro tem custos altos, como impostos, manutenção, seguro e combustível. Além de passar por um alto índice de desvalorização ano após ano.

Por essas razões e com o advento de aplicativos de transporte que vem surgindo, se você utiliza o veículo apenas para o lazer, talvez seja hora de repensar a importância de adquirir um bem desse tipo.

Poupança e aplicações

Muitas pessoas pensam na poupança como a única forma segura e eficaz de poupar dinheiro. Isto porque durante anos, os governos e bancos públicos ajudaram a construir essa imagem.  Mas essa não é uma verdade. Na realidade, a poupança nem sequer é um bom investimento.

Até porque, nos últimos anos, diversos outros tipos de investimento ganharam o mercado brasileiro. Entre eles, os investimentos em renda fixa, CDB’s, títulos do tesouro e a bolsa de valores.

É claro que, nesses tipos de investimento, há sempre um risco que é proporcional a possibilidade de ganho. Mas hoje, já é possível receber orientação do gerente do banco e acompanhar os resultados diariamente por meio de aplicativos.

Como você pode perceber, quanto antes começar a pensar no futuro, mais chances tem de alcançar seus objetivos. Com clareza, disciplina, perseverança, resiliência e planejamento é possível superar suas metas e até ir além.

E aí, gostou do conteúdo do texto? Quer ajudar seus amigos a começarem a refletir sobre a importância do planejamento? Então compartilhe este post nas suas redes sociais! Porque crescer é bom, mas crescer junto com os nossos, é muito melhor!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-