fbpx

Juntar, financiar, pagar com subsídio? Conheça algumas possibilidades na hora de pagar a entrada do seu apê.

juntar dinheiro para a entrada ou financiar a entrada
6 minutos para ler

Antes de realizar o sonho da casa própria é importante saber todas as possibilidades existentes para dar entrada no imóvel. Já refletiu se é mais vantajoso juntar dinheiro para a entrada ou financiar a entrada?

Neste post, mostraremos qual a melhor escolha e os pontos negativos e positivos de cada uma dessas opções. De toda forma, em todos os casos a compra da casa nova exige planejamento financeiro.
Tem interesse no tema? Então, não perca o post a seguir!

Conheça as duas possibilidades

Financiamento

Quando se decide pela compra de um imóvel, mesmo que quase todo o apartamento seja financiado, é preciso dar entrada. Esse valor inicial, no entanto, também pode ser financiado.

No geral, o valor mínimo da entrada é de 20%, já que o financiamento junto às instituições financeiras não pode ultrapassar 80% do valor total. Porém, mesmo a entrada pode ser paga de forma alternativa, como com os subsídios.

Dependendo do tipo de financiamento escolhido, o subsídio pode corresponder a mais de 10% do valor do imóvel. Com isso, em vez de pagar os 20% de entrada que os bancos exigem, esse percentual seria reduzido para, em média, 10%.

Para ficar mais claro, pense em um imóvel no valor de R$140 mil. Levando em consideração que você tem uma renda compatível e, portanto, tenha direito ao subsídio, sua entrada seria quitada da seguinte forma: R$19.893 via subsídio e R$14.994 de entrada com recursos próprios, como o FGTS ou uma eventual reserva. Os demais 80% seriam financiados e pagos por 360 meses, com prestações de R$584,99.

Por meio do Minha Casa, Minha Vida, por exemplo, é possível que não haja nenhuma entrada por conta do alto subsídio dado pelo governo federal. Mas isso dependerá da faixa de renda em que a família se enquadra no programa. Nessa caso não é necessário analisar o que é melhor para você: juntar dinheiro para a entrada ou financiar a entrada, mas lembre-se que esses casos são exceções.

Outro ponto a ser considerado é a possibilidade de parcelar também o valor da entrada. Algumas construtoras permitem o parcelamento do valor em até 60 vezes. Há ainda a opção de utilizar o FGTS, parcialmente ou integralmente.

Antes de qualquer coisa, é importante analisar cada situação e se inteirar do que será mais vantajoso caso a caso.

Juntar dinheiro

Precisa decidir entre juntar dinheiro para a entrada ou financiar a entrada do apartamento? No caso da primeira opção, se a pessoa conseguir se planejar com antecedência ela poderá conseguir juntar uma determinada quantia e conseguir comprar o seu imóvel pagando parcelas menores do financiamento. Juntando uma quantidade ainda maior de recursos, até mesmo o financiamento poderá ser dispensado.

Mas a hipótese de não utilizar nenhum financiamento é mais rara. Normalmente, quando se trata de compra do primeiro imóvel por meio do programa Minha Casa, Minha Vida, por exemplo, as famílias utilizam crédito de instituições financeiras e é muito comum financiarem parte da entrada junto às construtoras.

Porém, ter recursos para quitar a entrada do imóvel já significa uma redução do financiamento. Para isso, é fundamental um planejamento financeiro e colocar as contas e eventuais dívidas em dia.

Aprenda a planejar suas finanças

Comprar uma casa ou apartamento envolve valores significativos e exige, na maioria dos casos, financiamento junto às instituições financeiras. O indicado é sempre planejar sua vida financeira antes de qualquer tomada de decisão e buscar uma assessoria para auxiliar nesse momento tão importante. Uma empresa especializada explicara o que é melhor para você em determinado momento da sua vida: juntar dinheiro para a entrada ou financiar a entrada Veja algumas dicas:

Entenda sua renda

Para se tornar um poupador comece a economizar seu dinheiro todo mês. Saiba exatamente quanto você ganha, quanto você gasta e se proponha a cortar supérfluos.

Coloque na ponta do lápis despesas essenciais do seu dia a dia. Pense que um financiamento não deve ultrapassar mais de 30% da renda mensal familiar. Esse percentual facilitará o conhecimento sobre quanto, de fato, você precisa ter em mãos para comprar o apartamento desejado.

Comece a juntar dinheiro

Separe o valor usado em programas sociais das despesas fixas e veja quanto é possível economizar. Será preciso reduzir gastos do dia a dia de forma a conseguir fazer uma poupança ou outro tipo de aplicação.

Ter pelo menos uma parte do dinheiro em mãos permite buscar financiar valores menores no mercado, sem que você precise comprometer mais do que deveria a sua renda mensal.

Corte cartão de crédito

Cortar compras no cartão de crédito e crediário faz muita diferença ao final desse processo de economia. O cartão nunca deve ser sua principal forma de fazer compras, pois com ele não sentimos o dinheiro saindo da conta e fica mais fácil perder o controle dos gastos.

Manter o cartão de crédito sem parcelas reduz uma conta a ser paga ao final do mês, faz com que você gaste apenas o dinheiro que tem e evita as pegadinhas do banco, como parcelar faturas e, consequentemente, arcar com juros. Não tenha dúvidas de que esse ato significará uma economia ao final do processo e impactará na decisão de juntar dinheiro para a entrada ou financiar a entrada.

Faça cortes estratégicos

Se economizar está realmente difícil, passe a cortar de forma mais radical outras despesas, como pacotes de TV a cabo, ir a bares e restaurantes com frequência, usar mais do que o necessário de água e luz no dia a dia. Para realizar um sonho, sacrifícios são necessários.

Além disso, buscar alguma renda extra pode contribuir com a sua poupança.

Encontre o imóvel mais adequado

Não adianta economizar se você está à procura de um imóvel que nunca vai caber no seu bolso. Seu objetivo deve estar claro e ser alcançável.

Portanto, faça uma ampla busca pela casa ou apartamento ideal e procure a ajuda de empresas especializadas no ramo imobiliário. Pense em valores, localização, tamanho, infraestrutura da região e condições de pagamento.

Dúvidas podem surgir na hora de decidir pela compra de um imóvel. Por isso, é preciso estar bem informado sobre as melhores alternativas para realizar o sonho de ter a casa própria. Definir sobre juntar dinheiro para a entrada ou financiar a entrada da casa ou apartamento é um ótimo começo.

Agora que você já conheceu as alternativas a respeito das formas de pagamento da entrada da casa própria, assine nossa newsletter e fique por dentro das novidades do mercado imobiliário.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-