Como funciona o financiamento imobiliário? Entrada, parcelas e muito mais

Como funciona o financiamento imobiliário? Entrada, parcelas e muito mais

Muitos brasileiros que têm o desejo em adquirir uma casa própria e não possuem condições de realizar o seu pagamento à vista, recorrem ao financiamento imobiliário.

Essa modalidade de financiamento é efetuada por instituições financeiras, que pagam ao vendedor do imóvel a quantia que está sendo solicitada.

A partir de então, o comprador solicitante fica em débito com o banco que assumiu a sua dívida. Enquanto não quitar a dívida com o banco, o imóvel ligado à pessoa que efetuou a compra não pode ser negociado.

Se você sonha em possuir uma casa própria, então saiba mais a seguir como fazer o financiamento imobiliário e quais são os trâmites envolvidos nesse tipo de empréstimo.

Sobre o financiamento imobiliário

O financiamento imobiliário diz respeito a uma categoria de empréstimo realizada com o intuito de comprar imóveis. Com os recursos, o consumidor tem a possibilidade de adquirir o bem, que será pago à instituição por meio de parcelas, sujeitas à correção e acréscimos relativos aos juros.

No mercado imobiliário, essa modalidade de crédito possui as taxas mais baixas e detém prazos mais longos, chegando a 35 anos. O imóvel pode ser novo, usado ou comprado na planta.

Os recursos destinados ao financiamento imobiliário vêm do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), da Caderneta de Poupança e da emissão de títulos de crédito imobiliário como Letras de Crédito Imobiliário (LCI), Cédulas de Crédito Imobiliário (CCI).

Afinal, como funciona o financiamento imobiliário?

O interessado em fazer um financiamento imobiliário deve se dirigir à Caixa Econômica Federal ou a outro banco que financie imóveis.

Além disso, é preciso apresentar os documentos exigidos pelo banco e, em seguida, efetuar o preenchimento de uma ficha cadastral.

Tendo acesso aos dados informados, o banco promove a análise de risco de crédito do cliente. Verificação esta que serve para examinar o histórico do solicitante — se possui muitas dívidas e se está inadimplente, bem como a renda e capacidade de pagamento.

Essa análise tem bastante influência sobre a taxa de juros e, sobretudo, é um fator determinante quanto ao ato de conceder ou não o crédito.

Valor de entrada

Geralmente, cobra-se 20% de entrada do imóvel o qual será concedido o financiamento imobiliário. É recomendável pagar o máximo possível de entrada, pois, como os juros são calculados em cima do saldo devedor, quanto menor a dívida, menos juros será cobrado.

Avaliação do imóvel

Com a finalidade de confirmar o valor do bem a ser financiado, o banco, adjunto a uma organização imobiliária, arquiteto ou engenheiro, realiza a avaliação do imóvel.

Com isso, a instituição financeira contratada elabora o contrato e pede para que o vendedor e comprador assinalem o documento.

O crédito é liberado após o contrato ter sido assinado, registrado em cartório e levado a uma agência da instituição bancária.

Quais são os tipos de financiamento imobiliário?

Além da possibilidade de obter financiamento imobiliário diretamente com a construtora, você  pode conseguir comprar o seu imóvel com a utilização de recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) ou pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Com o intuito de melhor entender essas modalidades de financiamento imobiliário, confira abaixo a definição de cada uma delas:

Financiamento com a construtora

Optar em financiar um imóvel diretamente com a construtora pode oferecer maior flexibilidade de negociação. Esta modalidade não impõe limites acerca dos valores financiados, taxas de juros ou renda.

Assim, o financiamento estabelecido entre você e a construtora imobiliária, que visa tornar real o empreendimento efetuado, deve ser formalizado por meio de um contrato, que visa expor as condições e as taxas de juros da operação.

O valor de entrada nesse tipo de financiamento imobiliário permite ser negociado, bem como as prestações impostas pela construtora. Possivelmente a organização pedirá apenas um sinal (quantia em dinheiro para garantir a compra).

Financiando pelo SBPE

Você também tem a possibilidade de construir com o financiamento imobiliário disponibilizado pelo SBPE, modalidade esta que não define limite de renda.

Além disso, as taxas de juros não podem ultrapassar a 12% ao ano quando você financia o imóvel nos limites do Sistema Financeiro de Habitação (SFH).

Caso o financiamento ocorra pelo SBPE, mas esteja fora dos limites do SFH, as taxas de juros estão sujeitas a ser maiores que 12%.

Financiamento imobiliário pelo FGTS

A utilização de recursos do FGTS para financiar um imóvel está atrelada ao SFH — Sistema Financeiro de Habitação. Neste caso, são estabelecidos limites (que variam periodicamente) tanto para o valor do financiamento quanto para o imóvel.

Vale mencionar que somente pessoas com determinada renda familiar máxima podem solicitar o financiamento imobiliário pelo FGTS e que o valor concedido sofre variação conforme a região do país.

Quanto as taxas de juros, elas são mais baixas do que as taxas cobradas pelo SBPE.

Diferenças entre as modalidades de financiamento imobiliário

As instituições financeiras não têm a permissão de cobrar taxas de juros superiores a 12% ao ano quando o financiamento imobiliário está nos limites do SFH, o que indica que o imóvel pode ser financiado por valores maiores caso aconteça fora do SFH.

Quando você opta em financiar o imóvel por uma construtora, ganha flexibilidade quanto à negociação, cabendo a empresa definir o valor máximo do seu financiamento.

Financiamento imobiliário com o Meu Primeiro Apê

O financiamento imobiliário se refere a empreender na construção de um patrimônio que atenderá suas necessidades presentes e beneficiará as gerações futuras, como os seus filhos e até netos.

Por isso, para que o empreendimento supere suas expectativas, é muitíssimo importante que você escolha uma excelente construtora, que possua capacidade de assegurar que o seu dinheiro está sendo bem investido.

Assim, se você quer obter êxito em relação ao financiamento imobiliário, o Meu Primeiro Apê é a forma assertiva de fazer isso!

Produtos e serviços

Com o Meu Primeiro Apê é possível comprar apartamento ainda na planta, além de ter acesso às informações acerca de assuntos relacionados ao setor imobiliário, como o financiamento, e taxas.

Dessa forma, se você procura um financiamento imobiliário, sem dúvida alguma, pode contar com o Meu Primeiro Apê!

E essa ação pode ser realizada de onde você estiver, bastando apenas ter algum aparelho digital com acesso à internet para poder analisar os produtos e serviços do site www.meuprimeiroape.com.br. Nele, é possível simular os valores de entrada e de parcelas do imóvel avaliado.

Ademais, confira a seguir o que o Meu Primeiro Apê tem a lhe oferecer:

  • Venda de apartamentos em diferentes estágios de construção;
  • Simulação aberta de condições de financiamento;
  • Cadastro de imóveis feito pelas corretoras.

Além de ter ficado por dentro sobre os trâmites que constituem a construção e o financiamento de apartamentos, agora, você sabe que também pode contar com os produtos e serviços do #MPA!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.