fbpx

Como funciona o subsídio do Minha Casa Minha Vida? Veja aqui!

6 minutos para ler

Além dos juros diferenciados e de todas as demais condições especiais de aprovação, os subsídios do Minha Casa Minha Vida (MCMV) fazem do principal programa de financiamento habitacional do país uma alternativa realmente acessível para a compra da casa própria.

Esta é uma das grandes facilidades do MCMV para quem não teria alternativa para comprar seu imóvel próprio. 

Confira neste post o que é preciso para receber o subsídio do Minha Casa Minha Vida e saiba também porque o programa é a melhor alternativa para você realizar o sonho da casa própria.

Como funciona o Minha Casa Minha Vida

Criado pelo Governo Federal em 2009, o Minha Casa Minha Vida visa reduzir o problema da falta de moradia no Brasil. Por meio dele, famílias de baixa renda conseguem financiar a compra de sua casa com juros mais baixos do que os cobrados pelos bancos.

Além dos juros menores, também há o recebimento de um subsidio para diminuir o valor da dívida e das parcelas a serem pagas. O MCMV permite a compra de imóveis tanto em áreas urbanas quanto rurais. O programa é realizado em parceria entre o Governo Federal, governos estaduais e prefeituras dos municípios.

Benefícios do programa

Comprar a casa própria por meio do MCMV pode garantir uma série de benefícios para quem busca sua independência sem ter que optar pela moradia de aluguel. Confira alguns deles.

Evitar o aluguel

Como adiantamos, ficar livre do aluguel é um dos mais importantes benefícios do MCMV. Ter um imóvel próprio é uma garantia de segurança e tranquilidade.

Com o MCMV, há a possibilidade de pagar valores até menores do que seriam pagos no aluguel, tornando-se assim uma alternativa que garantirá economia nos gastos mensais e melhor investimento em seu futuro, visto que estará aplicando seu dinheiro em um patrimônio.

Parcelas decrescentes

Outro benefício de financiar a casa própria é livrar-se dos reajustes anuais comuns no aluguel. Financiando sua casa pelo MCMV com o uso do Sistema de Amortização Constante (SAC), o valor das parcelas vai caindo mês a mês.

Isso diminui o risco de você não conseguir arcar com os pagamentos e ficar inadimplente.

Suporte especializado

Além das agências bancárias, é possível encaminhar o ingresso no MCMV em uma rede de correspondentes bancários, onde os profissionais estão capacitados para identificar qual o melhor modelo de negócio para o seu perfil, assim como corretores especializados.

Assim, você não corre o risco de realizar um financiamento que fique além de suas possibilidades. É a garantia de que os pagamentos não ficarão pesados para a sua família no futuro.

Subsídio habitacional

Em algumas modalidades de financiamento do MCMV o Governo Federal concede um subsídio para o pagamento do imóvel, reduzindo o saldo devedor do mutuário. Confira como funciona este benefício.

Quem tem direito ao subsídio

Todo o brasileiro maior de 18 anos ou menor emancipado que não seja proprietário de imóvel tem direito ao subsídio habitacional por meio do MCMV desde sua renda seja compatível, menor que R$ 4.000,00. Para isso, ele não pode ter sido beneficiado antes por nenhum programa de habitação do Governo Federal.

O benefício pode ser usado para diminuir as parcelas do financiamento ou para reduzir o tempo total do contrato.

Valor do subsídio do Minha Casa Minha Vida

O benefício é concedido em 3 das 4 faixas de financiamento do MCMV.  O valor do subsídio vai depender de qual delas a sua família se encaixa:

  • faixa 1: famílias com renda de até R$ 1,8 mil mensais podem obter subsídio de até 90% do valor do imóvel. Nesta categoria, o valor pago mensalmente pelo financiamento varia entre R$ 80 e R$ 270;
  • faixa 1,5: destinado às famílias com renda entre R$ 1,8 mil e R$ 2,6 mil. Neste caso, o subsídio máximo é de R$ 47,5 mil. O saldo devedor pode ser financiado em até 30 anos, com juros de 5% ao ano;
  • faixa 2: engloba famílias com renda entre R$ 2,6 mil e R$ 4 mil e tem como teto do subsídio o valor de R$ 29 mil. Assim como na faixa anterior, o saldo pode ser financiado em 30 anos, com juros que variam entre 5,5% e 7% ao ano;
  • faixa 3: enquadram-se famílias com renda de até 7 mil, que podem obter financiamento com juros de até 9,16% ao ano, mas não têm direito ao subsídio.

Valor do imóvel

O MCMV impõe um teto no valor do imóvel para a concessão do benefício. Este limite varia de cidade para cidade, conforme a tabela abaixo:

  • até R$ 90 mil: municípios de até 20 mil habitantes;
  • até R$ 190 mil: cidades com mais de 20 mil habitantes;
  • até R$ 215 mil: regiões metropolitanas do Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Espírito Santo e Minas Gerais;
  • até R$ 240 mil: regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro e do Distrito Federal.

Como candidatar-se ao Minha Casa Minha Vida

Para a Faixa 1, que engloba famílias com renda de até R$ 1,8 mil, é preciso procurar a prefeitura de sua cidade, responsável por organizar da seleção dos beneficiados. 

Já ingresso na Faixa 1,5, para as famílias com renda de até R$ 2,6 mil, o processo ocorre mediante cadastro na Caixa ou no Banco do Brasil. Neste caso, é feito um sorteio para definir os beneficiários.

Para as faixas 2 e 3, o acesso ocorre por meio da análise e aprovação de crédito por meio da Caixa. Com o financiamento aprovado, o mutuário pode escolher o imóvel que deseja comprar.

Para ter sua participação aprovada no MCMV é preciso comprovar que sua renda se enquadra às exigências do programa. Isso pode ser feito por meio da apresentação de holerites referentes aos últimos 6 meses. Quem é autônomo pode apresentar declaração do imposto de Renda ou mesmo cópias dos extratos bancários.

Estas são as regras básicas para se comprar um imóvel utilizando o subsídio do Minha Casa Minha Vida. Também é muito importante você contar com um suporte para a localização do imóvel ideal para comprar de acordo com as regras do programa.

Que tal entrar em contato conosco e descobrir como podemos ajudá-lo a comprar sua casa por meio do Minha Casa Minha Vida?

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-